Como fazer uma previdência privada

Publicado por Veridiana Lopes (Economia Diária) em

Vou começar esta postagem lhe fazendo uma pergunta básica: você já começou a pensar em seu futuro?

Desculpe se te assustei, mas a ideia é essa. Às vezes, precisamos de um choque, né?

“Mas essa pessoa já começa me assustando e eu nem sei quem ela é!”
Bom, deixe eu me apresentar então.

Meu nome é Veridiana Lopes, sou educadora e consultora financeira, criadora do Economia Diária, uma empresa que tem como missão disseminar educação financeira de uma forma acessível.
Sabe aqueles termos econômicos, que te assustam? Eu traduzo isso para você. Lindo, não é?

E por que estou falando sobre o futuro…
Tenho certeza que você tem visto por aí, falarem sobre “reforma da previdência”.

A real é que o governo está dificultando, ainda mais, o acesso à previdência social. Será praticamente impossível contarmos com ela no futuro.

“Aí, então não vou me aposentar?”

Vai depender de você.
E foi exatamente por isso que comecei esse artigo com aquela perguntinha que te assustou. A maioria das pessoas preferem ignorar o futuro e viver apenas o presente, esquecendo-se que iremos envelhecer e que a expectativa de vida no Brasil só tem aumentado.

Você conhece alguém que está perto de se aposentar? Como essa pessoa está?

A – Desesperada, por que agora tem que correr atrás do INSS e essa é sua única opção;
B – Nem pensa em parar de trabalhar, pois não duraria um dia sem essa renda;
C – Está tranquilo, pois poupou e se planejou durante anos para este momento.

Muito provavelmente ela estará entre a A e a B.

E você, em qual quer estar?

“Mas eu não tenho dinheiro/tempo/conhecimento/qualquer outra desculpa…”
Vem cá, vou te ajudar.

*Vamos supor que você conhece seus gastos e ganhos, tá? Se você chegou aqui e percebe que não faz ideia de quanto entre e sai do seu bolso, pare e leia este post.

Quanto você está gastando com “extras”? Comida, academia, salão…
Separe entre R$50-R$100, para começar.

“E onde eu invisto?”
Fuja dos bancos! Eles cobram taxas altíssimas (taxa de carregamento)

Se você não tiver tempo/paciência de montar sua própria carteira de investimentos, não acha que terá o comprometimento de poupar todo mês durante anos ou tem dificuldade para poupar, recomendo procurar uma previdência privada.

Clique aqui para saber mais sobre previdência privada.

Agora, se você tem um perfil diferente do citado acima, alguns investimentos bem bacanas são: tesouro IPCA, ações (para longo prazo e de boas empresas!), CDBs, Fundos…
Ou seja: uma carteira diversificada de investimentos.

Atenção na palavra diversificada! Isso é essencial para uma boa carteira de investimentos. O que isso quer dizer? Conhecem a frase “não coloque todos os ovos em uma cesta só”? Então! JAMAIS coloque todo o seu dinheiro em apenas um investimento.

Veridiana Lopes é educadora, consultora financeira e moderadora do @economiadiaria, página do Instagram em que dissemina educação financeira de uma forma acessível.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *