É melhor pagar à vista ou parcelar para juntar o dinheiro?

Publicado por Taíse Costa (Diário de finanças) em

Entrou um dinheirinho extra e você já fica impaciente para torrá-lo todo em algum bem? CALMA! Para quem não possui RESERVA DE EMERGÊNCIA, isso pode ser fatal para suas finanças.

Educação Financeira vai muito além de contas de matemática, na minha opinião tem mais a ver com história e sonhos. E se pra ficar mais perto dos seus sonhos for necessário parcelar, então sim, PARCELE! Desde que seja de forma consciente!

Mas como assim? Parcelar não seria o fim? Continue lendo para entender.

O primeiro ponto a observar é se você tem ou não uma reserva de emergência. Ela é de extrema importância na nossa vida e vamos partir desse princípio nesse post.

Considerando que já tenha uma reserva de emergência:

  • Se tratando de um valor que você possua “sobrando” além da sua reserva, sem dúvida, é melhor se livrar de criar mais uma dívida. Nesse caso pague à vista.
  • Se para pagamento à vista o desconto for igual ou superior à 10%, nem pense duas vezes, pague à vista, levando em conta que aplicações mais conservadoras renderia bem menos que isso (no cenário atual).
  • Já possui reserva de emergência, mas o produto que quer comprar não possui desconto à vista e você gostaria de usar aquela quantia “extra” para uma aplicação com uma rentabilidade bem atraente. Ótimo! Nesse caso é melhor parcelar, principalmente se o produto for um bem de consumo durável, como eletroeletrônicos e móveis, por exemplo.

Considerando que NÃO tenha uma reserva de emergência:

  • O primeiro passo é avaliar se possui ou não desconto comprando à vista. Se possuir, analise se o desconto é bom e vale mesmo a pena pagar. Se não, já descarte a possibilidade. Nesse caso, parcelar seria melhor e você manteria seu dinheiro guardado para uma possível emergência.
  • O valor é pequeno ou o produto que quer comprar é perecível ou recorrente (que precise comprar com uma certa frequência)? Pague à vista, mesmo sem reserva. De repente, é uma quantia que não vai fazer tanta diferença assim e só vai te deixar mais enrolado.
  • Se já possui outras parcelas e corre o risco de não conseguir arcar com todas nos próximos meses, é possível que acabe criando uma bola de neve. Sendo esse seu caso, prefira pagar à vista.
  • Em muitos casos, para quem não possui reserva nenhuma, não compensa comprar à vista (as vezes mesmo com o desconto, caso seja muito baixo), pois isso vai te descapitalizar demais e, caso surja um imprevisto, você vai precisar recorrer à fontes de créditos que no final das contas podem custar muito mais caras que aquele desconto que você conseguiria lá atrás. Essa dica vai até para empreendedores, uma falha na administração no fluxo de caixa e todo o seu negócio pode ir por água abaixo.

Importante!

  • NUNCA, em nenhuma hipótese, parcele faturas de cartão de crédito. Os juros são elevados e a tendência é que você não consiga se livrar dessa dívida tão cedo.
  • É preciso ser muito equilibrado para entrar em um parcelamento. Se você acha que não vai conseguir dar conta das parcelas e acabar comprometendo seu orçamento mensal, nem comece. Isso com certeza será um entrave na sua vida financeira.
  • Todos esses pontos expostos acima podem ser bastante relativos. Cada caso é um caso, e devem ser analisadas com um olhar específico e estratégico. Conheça o seu caso e descubra o momento certo de tomar cada decisão.

Taíse Costa é educadora financeira e moderadora do @diariodefinancas, página do Instagram em que compartilha dicas, motivações e inspirações para uma vida financeira feliz.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *